NÃO SEI SE É SERVIÇO PÚBLICO (CRÍTICA A SABE OU NÃO SABE?)

18:41

Um programa, com intenções questionáveis e uma forte componente pimba, que só resulta graças ao apresentador.

Se Vasco Palmeirim me abordasse na rua para responder à pergunta "Sabe ou Não Sabe? é um bom programa de serviço público?" eu, provavelmente, não teria uma resposta segura para lhe dar. É que o facto de assentar numa premissa que se prende com a escolha de pessoas, ao acaso, na rua, com base na aparência e em ideias pré-concebidas a ela ligadas, para responderem a determinadas perguntas não faz do concurso a escolha mais inócua e acertada para o canal do Estado.


É claro que se pode contra-argumentar, dizendo que muitas das pessoas escolhidas acabam por dar uma resposta contrária à que o concorrente espera que dêem, provando, desta forma, que recorrer-se a preconceitos não é a melhor solução. Mas, ainda assim, não se deixa de pôr os telespectadores em casa a olhar para as pessoas que passam pelo concorrente e dizerem "olha, aquela ali é uma mulher, por isso não deve saber esta pergunta sobre futebol" ou "aquele é muito novo para saber quem foi o Martin Luther King".


É claro que existem perguntas de cultura-geral e viaja-se por este Portugal fora, numa tentativa de tornar este um programa de serviço público. Mas o seu foco principal, o que nos chama mais a atenção, como já ficou percebido, não é, irrefutavelmente, a componente das questões, que parecem, permitam-me, pouco pensadas e trabalhadas, nem tampouco os locais que nos mostram, sobre os quais nada de interessante nos é dito; aliás, até se torna assaz aborrecido ver Palmeirim saltitar incansavelmente, durante um período de tempo embaraçosamente longo, pelas bancas da feira de Outubro de Vila Franca de Xira ou entre fãs da Ágata com bandoletes luminosas e fluorescentes na cabeça.


Com efeito, este programa, ao viajar pelo país, vai sempre parar a sítios sopeiros, que nenhum valor ou conhecimento nos acrescentam. Haverá quem diga que faz parte das funções do serviço público de televisão mostrar essa portugalidade. Mas a questão é que demasiados programas - inclusivé dos canais privados - o fazem, dando-se a ideia de que Portugal é só pimba. E pimba não é portugalidade; é mau gosto. A propósito disto, considero que urge cercear este tipo de caminhos para os programas da RTP.


A colocação de Palmeirim na condução do programa, por seu turno, não pode ser considerada uma estulta ideia de mau gosto. Ele é alegre, entusiasta, frenético, incansável, bem ao estilo do programa. Mas também é um óptimo apresentador de televisão, senão mesmo o melhor da sua geração. E este programa dá-lhe o espaço que precisa para se mexer, brincar, entreter, ser único e para torná-lo seu.


Este é o programa de Vasco Palmeirim. Não é o Sabe ou Não Sabe?. Porque, se o programa tivesse outro apresentador, as suas falhas, incluindo as fragilidades da realização, seriam muito mais perceptíveis. Mas como o apresentador é ele, de algum modo tudo funciona e me deixa na dúvida se este é um programa que faz sentido existir na RTP ou não.

Sabe ou Não Sabe? é transmitido aos sábados, às 21:16h, na RTP1.

Avaliação: *




*
☆☆☆☆☆- Péssimo
★☆☆☆☆- Mau
★★☆☆☆- Razoável
★★★☆☆- Bom
★★★★☆- Muito Bom
★★★★★- Excelente

0 comentários