AINDA BEM QUE SOBREVIVESTE. AGORA CUIDA-TE (CRÍTICA A "DESIGNATED SURVIVOR")

20:50

Designated Survivor é, de longe, a melhor série da fall season da ABC. Apesar de trémula, esforça-se por manter o ritmo de permanente e alucinante insegurança, contando com um actor principal que rouba todas as cenas em que surge.


A mais recente e laureada aposta do canal ABC prova que, muitas vezes, o casting é essencial para o sucesso de uma série. É que Kiefer Sutherland, vivendo o protagonista Tom, um humilde membro do Gabinete dos Estados Unidos forçado a ser Presidente depois de uma hecatombe, entra por completo na pele do personagem. Fazendo com que nos liguemos a ele em todos os dilemas e decisões de vida ou morte que tem de, a contra-relógio, tomar.


Contudo, essa ligação ao personagem também está patente na escrita de David Guggenheim, praticamente desconhecido do público. No episódio-piloto, a relação de Tom com a família, nomeadamente com a mulher e a filha, é essencial para que o personagem tenha alma.


Ademais, a constante sensação de sobressalto acrescenta valor e marca competentemente o ritmo dos quatro episódios que, até agora, vi. Algo extremamente difícil de manter, especialmente numa série de um canal em sinal aberto, que dá primazia aos produtos mais folhetinescos.


Esse é, com efeito, o maior desafio da série. Como é possível uma história deste género durar várias temporadas, sendo que o ponto de central se coaduna simplesmente com a morte dos políticos da Casa Branca e a consequente tomada de posse do desconhecido Tom? Irá o mistério da explosão ser irrealmente eterno, bem como a adaptação do homem à vida presidencial? Se assim for, então esta série irá esgotar-se na primeira temporada. E irá ocorrer o que teimo em pôr sempre em evidência: Caso os guionistas só tenham pensado na história da primeira temporada, irão minar o seu trabalho para as temporadas futuras.


Penso que o tema da história passe pela perda da inocência. Que o objectivo principal dos argumentistas seja levar Tom numa viagem de auto-transformação, passando de um homem inócuo e bondoso a um tubarão calculista e traiçoeiro. Neste sentido, os intentos serão louváveis.
Mas, mais uma vez, alerto que é muito fácil resvalar para o cliché e para o melodrama barato. O facto de a maioria do elenco secundário ser pobre no que toca à arte de representar não abona a favor do produto.


Todavia, o que é certo é que em todos os episódios notei um brilhante balanço entre a exploração dos intentos de cada uma das personagens, do mistério da bomba que dizimou todos os políticos e da evolução do apaixonante Tom. A componente amorosa e light, presente em todas as séries da ABC, está também a ser tratada com pinças - manuseadas por mãos um tanto ao quanto trémulas, é certo - denotando um grande cuidado na percepção geral de cada capítulo e de toda a temporada.
Não é nem um Homeland nem um House of Cards, mas esta assume-se uma série comercial de valor acrescentado.

Designated Survivor é transmitida às quartas-feiras, na ABC.

Classificação: ☆*



*
☆☆☆☆☆- Péssimo
★☆☆☆☆- Mau
★★☆☆☆- Razoável
★★★☆☆- Bom
★★★★☆- Muito Bom
★ - Excelente

0 comentários